Iniciação sexual, gestação, parto e puerpério em comunidades indígenas do brasil: uma breve revisão integrativa

Autores

  • Clara Martins da Anunciação Lima Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB)
  • Karyna Duarte Alacântara Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB)
  • Jorge Miguel Lage Cerqueira Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB)
  • Felipe Ruan Miranda de Novais Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB)
  • Paulo Henrique Chaves de Oliveira Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB)
  • Paulo Victor Moreira Brito Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB)
  • André Marcos Damasceno Sóglia Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB)
  • Sandra Adriana Neves Nunes Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB)

Palavras-chave:

Saúde reprodutiva, Mulheres indígenas, Gravidez, Parto, Período pós-parto

Resumo

Introdução: Enquanto a produção científica sobre saúde reprodutiva da mulher tem ascendido no meio acadêmico, a literatura envolvendo as especificidades da mulher indígena com enfoque no seu contexto cultural ainda é escassa. De modo geral, as pesquisas são geográfica e etnograficamente bastante circunscritas. Objetivo: Nessa perspectiva, o presente estudo objetivou compreender as crenças, tradições e práticas acerca da saúde reprodutiva, em especial, sobre a iniciação sexual, gravidez, parto e puerpério nas comunidades indígenas do Brasil, de acordo com pesquisas publicadas entre os anos de 1989 e 2016. Materiais e Métodos: Trata-se de um estudo de revisão integrativa de literatura nas bases de dados BIREME, SCIELO, LILACS e Google acadêmico. Os descritores utilizados foram: “Saúde de Populações Indígenasâ€, “Gravidezâ€, “Partoâ€, “Período Pós-Partoâ€, “Tradiçãoâ€, “DSEI†(Distrito Sanitário Especial Indígena) e “sexualidade indígenaâ€. Os critérios de inclusão foram: tratar da temática, ser trabalhado de cunho científico publicado ou apresentado evento científico, produzidos durante os anos de 1989 e 2016, empregar abordagem descritiva, e estar disponível, na íntegra e online, sem restrição de idioma. Foram excluídos materiais cujos objetivos fugiram da temática e/ou quando se tratavam de livros completos. Resultados: Os resultados evidenciam que apesar de haver semelhanças entre as crenças e práticas tradicionais indígenas, existem também diversas singularidades em cada etnia que precisam ser levadas em consideração pelos profissionais de saúde e pelas políticas públicas. Conclusão: Espera-se que trabalhos dessa natureza se somem a outros que inspirarão a construção de políticas públicas de atenção à saúde da mulher indígena, que sejam eficientes e não violentem a identidade cultural desse grupo étnico.

Downloads

Publicado

29.11.2018

Como Citar

MARTINS DA ANUNCIAçãO LIMA, C.; DUARTE ALACâNTARA, K.; LAGE CERQUEIRA, J. M.; MIRANDA DE NOVAIS, F. R.; CHAVES DE OLIVEIRA, P. H.; MOREIRA BRITO, P. V.; DAMASCENO SóGLIA, A. M.; NEVES NUNES, S. A. Iniciação sexual, gestação, parto e puerpério em comunidades indígenas do brasil: uma breve revisão integrativa. Revista de Saúde Pública de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brasil, v. 1, n. 1, p. 86–101, 2018. Disponível em: https://revista.saude.ms.gov.br/index.php/rspms/article/view/11. Acesso em: 20 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos de Revisão