Revista de Saúde Pública de Mato Grosso do Sul https://revista.saude.ms.gov.br/index.php/rspms <p style="text-align: justify;">A <strong>Revista de Saúde Pública de Mato Grosso do Sul</strong> é um periódico de conteúdo multidisciplinar com periodicidade semestral editado e publicado pela Escola de Saúde Pública Dr. Jorge David Nasser, órgão da Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso do Sul. Publica manuscritos em diferentes formas de apresentação relacionados à saúde pública (artigos originais, artigos de revisão, relatos de casos ou de experiência, resumos de dissertação e tese em saúde pública).</p> <p style="text-align: justify;"><em><strong>ISSN Impresso:</strong> 1981-9722 / <strong>ISSN Eletrônico:</strong> 2675-7656</em></p> <p style="text-align: justify;"><strong>Este periódico está indexado em:</strong></p> <p style="text-align: justify;"><a href="http://red.bvsalud.org/rede-ses/" target="_blank" rel="noopener">Biblioteca Virtual em Saúde</a> (CONASS, ColecionaSUS, SES-MS)</p> <p style="text-align: justify;"><a href="https://scholar.google.com.br/citations?user=RndT2_8AAAAJ&amp;hl=pt-BR" target="_blank" rel="noopener">Google Scholar</a> / <a href="http://antigo.cnen.gov.br/centro-de-informacoes-nucleares/livre" target="_blank" rel="noopener">LivRe</a> / <a href="https://www.sumarios.org/revista/revista-de-sa%C3%BAde-p%C3%BAblica-de-mato-grosso-do-sul" target="_blank" rel="noopener">Sumários.org</a></p> <p style="text-align: justify;"><strong>Faça já sua submissão:</strong> <a href="http://revista.saude.ms.gov.br/index.php/rspms/login" target="_blank" rel="noopener">Clique aqui.</a></p> pt-BR <p>O (s) Autor (es) declara (m) que ao submeter um manuscrito na Revista de Saúde Pública de Mato Grosso do Sul, concorda (m) com os termos da <a href="https://revista.saude.ms.gov.br/index.php/rspms/direitoautoral">Declaração de Direito Autoral</a> e autoriza (m) a Revista de Saúde Pública de Mato Grosso do Sul a publicar o manuscrito sob a licença <a href="https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/" target="_blank" rel="noopener">Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional</a> e identificar-se como veículo de sua publicação original.</p> revistasp@saude.ms.gov.br (Inara Pereira da Cunha; Maria de Lourdes Oshiro) enunes@saude.ms.gov.br (Euder Alexandre Nunes) Qua, 22 Dez 2021 20:05:39 -0300 OJS 3.2.1.4 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 Como nascem os sul-mato-grossenses https://revista.saude.ms.gov.br/index.php/rspms/article/view/203 <p>Analisamos os dados de nascimentos no Mato Grosso do Sul para compreender a tendência e fatores relacionados às taxas de cesarianas no período de 10 anos. Observamos uma tendência persistente de aumento da taxa, interrompida apenas em 2014 e 2015. As mulheres brancas de maior escolaridade e com mais consultas de pré-natal tiveram mais cesarianas. Concluímos que a rede materno-infantil de MS está estruturada para atender cesarianas e restringe as possibilidades para muitas mulheres de entrarem em trabalho de parto e terem partos vaginais seguros, esses fatores aumentam os riscos para a população e o custo da assistência à saúde. São necessárias iniciativas de regulação e fortalecimento da rede para dar acesso às mulheres ao parto seguro e respeitoso.</p> ANGELA RIOS Copyright (c) https://revista.saude.ms.gov.br/index.php/rspms/article/view/203 HUMANIZAÇÃO NA SAÚDE EM TEMPOS DA COVID-19: O IMPACTO DAS MEDIDAS SANITÁRIAS RESTRITIVAS PARA A ATUAÇÃO DO ASSISTENTE SOCIAL NA ONCOLOGIA https://revista.saude.ms.gov.br/index.php/rspms/article/view/202 <p>O estudo problematiza os rebatimentos da Covid-19 na dinâmica hospitalar do Hospital do Câncer I/INCA, a partir da experiência profissional, que demandou a alteração na rotina de atendimento e na própria organização dos serviços, com a criação de protocolos institucionais de prevenção ao contágio, a exemplo da restrição de acompanhantes e visitantes durante a internação. Aborda o contexto da assistência direta prestada pelos assistentes sociais aos pacientes com câncer nesse período e os principais desafios enfrentados pela categoria. Estabelece uma correlação entre as políticas – a Política Nacional de Humanização (PNH) e a Política Nacional para Prevenção e Controle do Câncer (PNPCC) — diante das medidas sanitárias restritivas e problematizar os impactos para a atuação do assistente social no âmbito hospitalar. O trabalho foi desenvolvido a partir leitura crítica da sociedade capitalista e suas inflexões nas relações sociais, especialmente num contexto de crise sanitária mundial. Foi realizada ampla revisão bibliográfica e consulta às plataformas digitais e institucionais, priorizando as publicações nacionais que discutem a Humanização na Saúde e o tratamento oncológico. Um longo caminho precisa ainda ser percorrido até que se possa ter a real dimensão das consequências da pandemia no tratamento oncológico. Não é diferente em relação à reflexão em torno da atuação dos assistentes sociais nesse período tão conturbado e para o qual ninguém foi devidamente preparado em sua formação profissional.</p> Luciana da Silva Alcantara Copyright (c) https://revista.saude.ms.gov.br/index.php/rspms/article/view/202 ABORDAGENS TERAPÊUTICAS EXITOSAS PARA O TRATAMENTO DA PSORÍASE https://revista.saude.ms.gov.br/index.php/rspms/article/view/201 <p>A psoríase é definida como uma doença inflamatória crônica da pele que apresenta prevalência na população mundial variando de 1 a 5%. O referente estudo objetiva levantar na literatura estudos que apresentem terapêuticas exitosas para o tratamento da psoríase. Trata-se de uma revisão integrativa da literatura. A pesquisa se deu por meio de uma busca de estudos nas bases de dados: Literatura latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS) e Pubmed. Foram critérios de inclusão: artigos disponíveis na íntegra e livre acesso, nos idiomas português, inglês e espanhol, publicados no período entre janeiro de 2014 e dezembro de 2021. Foram critérios de exclusão estudos duplicados, incompletos, resumos, resenhas, debates, artigos publicados em anais de eventos, indisponíveis na integra ou que não apresentavam uma proposta clara foram excluídos durante as análises, bem como revisões da literatura. No período compreendido entre outubro a dezembro de 2021 foram selecionados 09 artigos para análise final. Os grupos tratados com certolizumabe e tratados com etanercept tiveram perfis de segurança comparáveis ​​até a semana 12 e menos pacientes tratados com certolizumabe do que os pacientes tratados com etanercept descontinuados devido a eventos adversos.&nbsp;De modo geral nenhum dos autores considerou na análise, o estilo de vida e os hábitos alimentares dos participantes dos estudos. Evidenciou-se que para psoríase vulgar o uso da microinfusão na pele de Ciclosporina e Metotrexato mostraram tolerabilidade, ausência de efeitos adversos e resposta rápida. <em>Tripterygium wilfordii</em>&nbsp;Hook F pode ser um tratamento eficaz e seguro em pacientes com psoríase vulgar moderado a grave, especialmente para pacientes que têm contraindicações para outras terapias.</p> Eduardo Henrique de Sousa, Luana Pereira Ibiapina Coêlho, Allan Bruno Alves de Sousa Santos Copyright (c) https://revista.saude.ms.gov.br/index.php/rspms/article/view/201