Infecção do trato urinário relacionada ao uso de cateter vesical: uma revisão da literatura

Autores

  • Eline Aparecida Vendas Righetti Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian
  • Bertha Lúcia Costa Borges Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian
  • Adelina Ferreira Gonçalves Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian
  • Mariana Picolli da Luz Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian
  • Sabrina Ferreira Furtado Magrin Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian

Palavras-chave:

Cateterismo, Bacteriemia, Cuidados de Enfermagem

Resumo

Objetivo: Realizar uma reflexão teórica, tendo como foco a incidência de infecções do trato urinário em pacientes internados e em consultas na Atenção Primária com uso de sonda/cateteres vesicais. Método: A metodologia escolhida foi a de natureza exploratória por intermédio de levantamento bibliográfico. Resultados e Discussão: As infecções associadas à assistência em saúde estão relacionadas a procedimentos realizados pela equipe de saúde diretamente ao paciente cateterizado; sendo que muitos desses procedimentos quebram as barreiras de defesas naturais do indivíduo. O cateterismo vesical é um fator influente para um desenvolvimento de alta porcentagem de infecções urinárias; e para diminuir isso deve-se aplicar uma série de medidas higiênico-sanitárias. A ITU associada ao cateterismo se revela como a principal causa de infecções nosocomiais da corrente sanguínea secundária, cerca de 17% das bacteriemias nosocomiais são de origem urinária, com mortalidade associada de 10%, principalmente em pacientes hospitalizados. Na prática, devem ser implementadas políticas que promovam a extração precoce dos cateteres, bem como aqueles que não são necessários, evitando consequências negativas para o paciente e para a instituição, ou seja, a duração da internação. Conclusão: A pesquisa destaca que a prevenção da ITU associada ao cateterismo passa por medidas recomendadas e baseadas em evidências que têm diminuído a taxa dessa infecção. Medidas simples, como higienização das mãos, técnica rigorosa, manutenção e a forma como o cateter é removido, contribuem para a prevenção de infecções associadas. O cateterismo urinário desnecessário, posicionamento inadequado e tempo de permanência do cateter, falta de higiene, da sonda, drenagem aberta, e outros eventos adversos influenciam no desenvolvimento da infecção.

Downloads

Publicado

29.11.2018

Como Citar

VENDAS RIGHETTI, E. A.; COSTA BORGES, B. L.; FERREIRA GONçALVES, A.; PICOLLI DA LUZ, M.; FERREIRA FURTADO MAGRIN, S. Infecção do trato urinário relacionada ao uso de cateter vesical: uma revisão da literatura. Revista de Saúde Pública de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brasil, v. 1, n. 1, p. 55–63, 2018. Disponível em: https://revista.saude.ms.gov.br/index.php/rspms/article/view/8. Acesso em: 17 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos de Revisão