Fatores associados à ansiedade dos pacientes durante o tratamento endodôntico

Autores

  • Kevillin Bruniely Martiniano da Silva Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP
  • Brunna Verna Castro Gondinho Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP
  • Inara Pereira da Cunha Escola de Saúde Pública de Mato Grosso do Sul - ESP
  • Jaqueline Vilela Bulgareli Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP
  • Karine Laura Cortellazzi Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP
  • Júlia Vitório Octaviani Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP
  • Antônio Carlos Pereira Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP
  • Luciane Miranda Guerra Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP

Palavras-chave:

Transtornos de Ansiedade, Endodontia, Assistência Odontológica

Resumo

Introdução: A ansiedade do paciente é uma barreira para o início e término do tratamento odontológico, principalmente na especialidade de Endodontia. Objetivo: Investigar a presença de ansiedade entre pacientes em tratamento endodôntico e seus fatores associados. Materiais e Métodos: Esse é um estudo transversal, analítico, realizado no município de Piracicaba, São Paulo, Brasil. Foram entrevistados 41 pacientes, e 41 Cirurgiões-Dentistas (CD) estudantes de pós-graduação em Endodontia de uma instituição de ensino. A variável dependente foi à ansiedade mensurada pelo inventário de Ansiedade de Beck. As variáveis independentes foram às condições socioeconômicas, motivo do tratamento, experiências negativas, número de atendimentos e percepção do CD para identificar a ansiedade do paciente. Foi realizada a análise bivariada pelo teste qui-quadrado, no nível de significância de 5%. Resultados: A maioria dos pacientes apresentou ansiedade leve/mínima. Os que demonstraram ansiedade moderada/grave tinham como características pais com menor escolaridade, sem residência própria, com pais e mães acima de 70 anos de idade, com experiência negativa com o CD e já haviam realizado a consulta de retorno. Dos CD entrevistados, 16,7% relataram perceber ansiedade moderada/grave nos pacientes que retornaram às consultas. Na análise, foi observado que não houve associação significativa da ansiedade com as variáveis investigadas (p>0,05). Conclusão: Os pacientes de endodontia apresentaram ansiedade leve/mínima, esse estado emocional precisa ser mais bem compreendido, a fim de garantir um tratamento atraumático e com menores riscos de abandono. 

Downloads

Publicado

2020-04-06

Como Citar

SILVA, K. B. M. da; GONDINHO, B. V. C.; CUNHA, I. P. da; BULGARELI, J. V.; CORTELLAZZI, K. L.; OCTAVIANI, J. V.; PEREIRA, A. C.; GUERRA, L. M. Fatores associados à ansiedade dos pacientes durante o tratamento endodôntico. Revista de Saúde Pública de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brasil, v. 2, n. 1-2, p. 41-48, 2020. Disponível em: https://revista.saude.ms.gov.br/index.php/rspms/article/view/47. Acesso em: 24 set. 2020.

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)